Receitas tradicionais

Destaque para os vinhos do Texas

Destaque para os vinhos do Texas

Como o Estado da Estrela Solitária se tornou um dos maiores produtores de vinho da região

Texas é agora uma região vinícola em expansão.

Churrascos e futebol são mais frequentemente associados ao Texas, mas você sabia que o Texas também tem a quinta maior área de vinhedos de qualquer estado dos EUA? O vinho tem uma longa história no Texas; uvas foram plantadas aqui antes de serem plantadas na Califórnia, e os monges franciscanos que as plantaram usavam vinho em cerimônias religiosas. O plantio continuou por centenas de anos e, embora a Lei Seca tenha interrompido a produção de vinho, o Texas se recuperou e agora é uma região produtora de vinho em ascensão.

Três vinícolas exemplificam essa tendência. Vinhedo e adega de Perissos, localizada na denominação Texas Hill Country, plantou suas primeiras uvas em 2005. Entre seus melhores vinhos estão tempranillo, petite sirah e viognier.

Vinhas Inwood Estates está localizado próximo ao centro de Dallas e é operado por Dan Gatlin, que estabeleceu um dos primeiros vinhedos de vinhos finos do estado em 1981. A vinícola foi construída em 2005, e Inwood é mais conhecida por sua mistura tempranillo-cabernet.

A Pedernales Cellars está localizada a leste de Fredericksburg, na denominação Texas Hill Country, e é operada por três gerações da família Kuhlken. Pedernales colheu suas primeiras uvas em 2008 e é especializado em variedades tintas típicas de clima quente, como tempranillo e garnacha, embora também faça alguns brancos surpreendentemente bons, incluindo um delicioso viognier. As degustações são oferecidas sete dias por semana.

Clique aqui para obter mais informações do The Daily Sip.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua junta inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue em segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem como tema a lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10 por cento da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Também há peças comissionadas, como estatuetas de papel-m & acircch & eacute pedestal de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir $ 500 emprestados a um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. Esse último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua junta inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue em segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem como tema a lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10 por cento da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Também há peças comissionadas, como estatuetas de papel-m & acircch & eacute pedestal de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir emprestado $ 500 de um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. Esse último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua junta inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue com segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem como tema a lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10 por cento da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Há peças encomendadas também, como estatuetas de papel-m e acircch e de pedestal de águia de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir $ 500 emprestados a um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. O último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, continuou ele. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua junta inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue em segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem o tema da lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10% da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Há peças encomendadas também, como estatuetas de papel-m e acircch e de pedestal de águia de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir $ 500 emprestados a um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. O último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua articulação inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue com segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem como tema a lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10% da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Também há peças comissionadas, como estatuetas de papel-m & acircch & eacute pedestal de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir $ 500 emprestados a um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. O último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua junta inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue com segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de crescer em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem o tema da lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10% da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Também há peças comissionadas, como estatuetas de papel-m & acircch & eacute pedestal de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir emprestado $ 500 de um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. O último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua articulação inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue com segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. Depois de uma semana e meia perdido no deserto, ele finalmente conseguiu chegar à Windy City.

Mas Jimenez, o oitavo de nove filhos, mais tarde decidiu retornar a Guadalajara para trabalhar ao lado de seus irmãos. Isso apesar de ter crescido em extrema pobreza e ter que engraxar sapatos na rua para sustentar sua família. A família era tão pobre que a irmã mais nova de Jimenez morreu aos três anos porque não havia dinheiro suficiente para levá-la ao médico. De volta a Guadalajara, Jimenez começou a trabalhar vendendo aguas frescas em um mercado.

Jimenez, agora com 48 anos, teve grande sucesso como modelo de revista impressa internacional, ator de novela e apresentador de TV antes de se tornar taquero. Ele também conseguiu imigrar para os EUA legalmente, tornando-se cidadão em 2010. Em 2016, ele deixou sua vida encantada para abrir um restaurante em Oak Cliff com sua esposa, Zulma Vanessa Hernandez, servindo a comida de sua cidade natal. O senso de magia e alegria de Jimenez & rsquos está em plena exibição no Maskaras Mexican Grill, que tem como tema a lucha libre que celebra seu amor pela luta livre mexicana. M askaras é festivamente decorado com cerca de 10% da coleção Jimenez & rsquos lucha & mdashmais de mil peças fortes, de acordo com o taquero. As máscaras são enquadradas no perfil ao longo de uma parede. Ilustrações e modelos altos personalizados de lutadores são montados em outra parede. Existem figuras colecionáveis ​​de vinil e máscaras de cerâmica em miniatura. Também há peças comissionadas, como estatuetas de papel-m & acircch & eacute pedestal de luchadors famosos. Existem até máscaras COVID-19 com o tema luchador à venda.

Como seu dono, Maskaras teve seus desafios. De julho de 2017 a setembro de 2018, o acesso ao estacionamento foi parcialmente bloqueado como resultado da construção de estradas, e o restaurante mal completou. Em dezembro, Jimenez e Hernandez tiveram que pedir emprestado $ 500 de um funcionário para permanecerem abertos. O COVID-19 quase encerrou o negócio, mas a adição de um taco ao menu fez toda a diferença. Esse taco? Birria de res, o taco mais badalado do Texas.

Falei com Jimenez recentemente enquanto esperava meu pedido para viagem de tacos ahogados, um taco de camar & oacuten crocante e, sim, um lote de tacos birria. Esse último item vendeu tão bem que o impediu de fechar o negócio, disse Jimenez. "Isso nos salvou", disse ele em voz baixa, por trás de uma divisória de acrílico que separava a caixa registradora dos clientes. Deixando passar a batida, ele sussurrou: & ldquoVocê sabe, não é realmente birria de res? It & rsquos barbacoa. Estes são os tacos de carne terminados na mesa que comemos no café da manhã na rua em Guadalajara. & Rdquo A única diferença são cerca de quinze ingredientes e o nome, ele continuou. I & rsquom aliviou o truque de marketing funcionou. Perder Maskaras significaria perder uma taqueria Texas única.


Taqueria em destaque: Maskaras Mexican Grill

O restaurante Dallas é um santuário ao amor do proprietário pela lucha libre e sua cidade natal, Guadalajara.

A primeira vez que Rodolfo Jimenez entrou nos Estados Unidos, ele tinha quinze anos. Jimenez nadou pelo Rio Grande com um colete salva-vidas enrolado na cintura e enfiou os dedos nas alças das sandálias para usar como remos. Ele ficou em um quarto de hotel em Laredo por duas semanas antes de retornar voluntariamente para sua cidade natal, Guadalajara. Mais tarde naquele mesmo ano, ele cruzou novamente, desta vez na fronteira entre Tijuana e San Diego. Ele e seu coiote, ou contrabandista, se perderam no deserto da Califórnia quando Jimenez torceu o tornozelo. Sua articulação inchou, tornando insuportável andar ou usar sapatos. O adolescente se escondeu sob o mato para escapar das luzes dos agentes da Patrulha da Fronteira. Jimenez orou por um sinal de Deus para que ele fosse entregue em segurança a seu irmão em Chicago. Momentos depois, diz ele, uma garça-azul pousou a poucos centímetros dele. O jovem interpretou isso como um sinal de esperança, que o ajudou a reunir forças para prosseguir. Jimenez é um católico fiel e, no simbolismo cristão, as garças azuis são um sinal de boa sorte e prosperidade. After a week and a half lost in the desert, he eventually made it to the Windy City.

But Jimenez, the eighth of nine children, later decided to return to Guadalajara to work alongside his siblings. This is despite growing up in extreme poverty and having to shine shoes on the street to support his family. The family was so poor that Jimenez&rsquos youngest sister died at the age of three because there wasn&rsquot enough money to take her to the doctor. Once back in Guadalajara, Jimenez went to work selling aguas frescas at a mercado.

Jimenez, who is now 48, went on to find great success as an international print magazine model, a telenovela actor, and a TV host before becoming a taquero. He also was able to immigrate to the U.S. legally, becoming a citizen in 2010. In 2016, he left his charmed life to open a restaurant in Oak Cliff with his wife, Zulma Vanessa Hernandez, serving the food of his hometown. Jimenez&rsquos sense of magic and joy is on full display at Maskaras Mexican Grill, which has lucha libre theme that celebrates his love of Mexican wrestling. M askaras is festively decorated with about 10 percent of Jimenez&rsquos lucha collection&mdashmore than a thousand pieces strong, according to the taquero. Masks are framed in profile along one wall. Illustrations and tall customized models of wrestlers are mounted on another wall. There are vinyl collectible figures and miniature ceramic masks. There are commissioned pieces too, such as papier-mâché pedestal statuettes of famous luchadors. There are even luchador-themed COVID-19 face masks for sale.

Like its owner, Maskaras has had its challenges. From July 2017 to September 2018, access to the parking lot was partially blocked as a result of road construction, and the restaurant barely eked by. One December, Jimenez and Hernandez had to borrow $500 from an employee to remain open. COVID-19 nearly did the business in, but the addition of a taco to the menu made all the difference. That taco? Birria de res, the trendiest taco in Texas .

I spoke with Jimenez recently while waiting for my to-go order of tacos ahogados , a crispy taco de camarón, and, yes, a batch of the birria tacos. That last item has sold so well that it&rsquos kept him from having to close the business, Jimenez said. &ldquoIt saved us,&rdquo he said quietly from behind a plexiglass divider separating the cash register from customers. Letting a beat pass, he whispered, &ldquoYou know, it&rsquos not really birria de res? It&rsquos barbacoa. These are the beef tacos finished on the flattop that we eat for breakfast on the street in Guadalajara.&rdquo The only difference is about fifteen ingredients and the name, he continued. I&rsquom relieved the marketing gimmick worked. Losing Maskaras would mean losing a one-of-a-kind Texas taqueria.


Taqueria Spotlight: Maskaras Mexican Grill

The Dallas restaurant is a shrine to the owner’s love of lucha libre and his native Guadalajara.

The first time Rodolfo Jimenez crossed into the United States, he was fifteen. Jimenez swam across the Rio Grande with a life preserver wrapped around his midsection, and he slipped his fingers through the straps of his sandals to use as paddles. He stayed in a hotel room in Laredo for two weeks before voluntarily returning to his native Guadalajara. L ater that same year , he crossed again, this time at the Tijuana&ndashSan Diego border. He and his coyote, or smuggler, were lost in the California desert when Jimenez sprained his ankle. His joint swelled, making it unbearable to walk or wear shoes. The teenager hid under scrub to evade the lights of Border Patrol agents. Jimenez prayed for a sign from God that he&rsquod be delivered safely to his brother in Chicago. Moments later, he says, a blue heron landed just inches from him. The young man took this as a hopeful sign, one that helped him muster the strength to press on. Jimenez is a faithful Catholic, and in Christian symbolism, blue herons are a sign of good luck and prosperity. After a week and a half lost in the desert, he eventually made it to the Windy City.

But Jimenez, the eighth of nine children, later decided to return to Guadalajara to work alongside his siblings. This is despite growing up in extreme poverty and having to shine shoes on the street to support his family. The family was so poor that Jimenez&rsquos youngest sister died at the age of three because there wasn&rsquot enough money to take her to the doctor. Once back in Guadalajara, Jimenez went to work selling aguas frescas at a mercado.

Jimenez, who is now 48, went on to find great success as an international print magazine model, a telenovela actor, and a TV host before becoming a taquero. He also was able to immigrate to the U.S. legally, becoming a citizen in 2010. In 2016, he left his charmed life to open a restaurant in Oak Cliff with his wife, Zulma Vanessa Hernandez, serving the food of his hometown. Jimenez&rsquos sense of magic and joy is on full display at Maskaras Mexican Grill, which has lucha libre theme that celebrates his love of Mexican wrestling. M askaras is festively decorated with about 10 percent of Jimenez&rsquos lucha collection&mdashmore than a thousand pieces strong, according to the taquero. Masks are framed in profile along one wall. Illustrations and tall customized models of wrestlers are mounted on another wall. There are vinyl collectible figures and miniature ceramic masks. There are commissioned pieces too, such as papier-mâché pedestal statuettes of famous luchadors. There are even luchador-themed COVID-19 face masks for sale.

Like its owner, Maskaras has had its challenges. From July 2017 to September 2018, access to the parking lot was partially blocked as a result of road construction, and the restaurant barely eked by. One December, Jimenez and Hernandez had to borrow $500 from an employee to remain open. COVID-19 nearly did the business in, but the addition of a taco to the menu made all the difference. That taco? Birria de res, the trendiest taco in Texas .

I spoke with Jimenez recently while waiting for my to-go order of tacos ahogados , a crispy taco de camarón, and, yes, a batch of the birria tacos. That last item has sold so well that it&rsquos kept him from having to close the business, Jimenez said. &ldquoIt saved us,&rdquo he said quietly from behind a plexiglass divider separating the cash register from customers. Letting a beat pass, he whispered, &ldquoYou know, it&rsquos not really birria de res? It&rsquos barbacoa. These are the beef tacos finished on the flattop that we eat for breakfast on the street in Guadalajara.&rdquo The only difference is about fifteen ingredients and the name, he continued. I&rsquom relieved the marketing gimmick worked. Losing Maskaras would mean losing a one-of-a-kind Texas taqueria.


Taqueria Spotlight: Maskaras Mexican Grill

The Dallas restaurant is a shrine to the owner’s love of lucha libre and his native Guadalajara.

The first time Rodolfo Jimenez crossed into the United States, he was fifteen. Jimenez swam across the Rio Grande with a life preserver wrapped around his midsection, and he slipped his fingers through the straps of his sandals to use as paddles. He stayed in a hotel room in Laredo for two weeks before voluntarily returning to his native Guadalajara. L ater that same year , he crossed again, this time at the Tijuana&ndashSan Diego border. He and his coyote, or smuggler, were lost in the California desert when Jimenez sprained his ankle. His joint swelled, making it unbearable to walk or wear shoes. The teenager hid under scrub to evade the lights of Border Patrol agents. Jimenez prayed for a sign from God that he&rsquod be delivered safely to his brother in Chicago. Moments later, he says, a blue heron landed just inches from him. The young man took this as a hopeful sign, one that helped him muster the strength to press on. Jimenez is a faithful Catholic, and in Christian symbolism, blue herons are a sign of good luck and prosperity. After a week and a half lost in the desert, he eventually made it to the Windy City.

But Jimenez, the eighth of nine children, later decided to return to Guadalajara to work alongside his siblings. This is despite growing up in extreme poverty and having to shine shoes on the street to support his family. The family was so poor that Jimenez&rsquos youngest sister died at the age of three because there wasn&rsquot enough money to take her to the doctor. Once back in Guadalajara, Jimenez went to work selling aguas frescas at a mercado.

Jimenez, who is now 48, went on to find great success as an international print magazine model, a telenovela actor, and a TV host before becoming a taquero. He also was able to immigrate to the U.S. legally, becoming a citizen in 2010. In 2016, he left his charmed life to open a restaurant in Oak Cliff with his wife, Zulma Vanessa Hernandez, serving the food of his hometown. Jimenez&rsquos sense of magic and joy is on full display at Maskaras Mexican Grill, which has lucha libre theme that celebrates his love of Mexican wrestling. M askaras is festively decorated with about 10 percent of Jimenez&rsquos lucha collection&mdashmore than a thousand pieces strong, according to the taquero. Masks are framed in profile along one wall. Illustrations and tall customized models of wrestlers are mounted on another wall. There are vinyl collectible figures and miniature ceramic masks. There are commissioned pieces too, such as papier-mâché pedestal statuettes of famous luchadors. There are even luchador-themed COVID-19 face masks for sale.

Like its owner, Maskaras has had its challenges. From July 2017 to September 2018, access to the parking lot was partially blocked as a result of road construction, and the restaurant barely eked by. One December, Jimenez and Hernandez had to borrow $500 from an employee to remain open. COVID-19 nearly did the business in, but the addition of a taco to the menu made all the difference. That taco? Birria de res, the trendiest taco in Texas .

I spoke with Jimenez recently while waiting for my to-go order of tacos ahogados , a crispy taco de camarón, and, yes, a batch of the birria tacos. That last item has sold so well that it&rsquos kept him from having to close the business, Jimenez said. &ldquoIt saved us,&rdquo he said quietly from behind a plexiglass divider separating the cash register from customers. Letting a beat pass, he whispered, &ldquoYou know, it&rsquos not really birria de res? It&rsquos barbacoa. These are the beef tacos finished on the flattop that we eat for breakfast on the street in Guadalajara.&rdquo The only difference is about fifteen ingredients and the name, he continued. I&rsquom relieved the marketing gimmick worked. Losing Maskaras would mean losing a one-of-a-kind Texas taqueria.


Assista o vídeo: Vinhos do Douro (Outubro 2021).