Receitas tradicionais

Maysville: Bourbon e Good Food

Maysville: Bourbon e Good Food

Sean Josephs - cuja esposa, Mani Dawes, dirige o excelente Tia Pol bar de tapas em Chelsea - ele mesmo é o proprietário do bar de uísque do Brooklyn com sotaque sulista (e ocasionalmente uísque) chamado Char No. 4. Agora ele abriu este ramo estiloso, nos limites do Flatiron District de Manhattan, e embora a comida seja um pouco menos caseira do que Char No. 4, a coleção de uísque é igualmente impressionante. Isso não surpreenderá ninguém que conhece a predileção de Josephs por este grande destilado, ou que percebe que Maysville, Ky., É a cidade portuária do rio Ohio onde, pelo menos de acordo com alguns historiadores, o bourbon foi feito pela primeira vez.

A sala de jantar é mais leve e mais aberta do que a do Brooklyn, com uma parede inteira coberta com prateleiras espelhadas contendo garrafas de belas bebidas em tons de âmbar, ouro-mel, caramelo e marrom-xarope. A parede oposta é uma homenagem a outro grande produto do Kentucky, os cavalos puro-sangue, em habilidosos esboços em tamanho de mural da mãe de Dawes.

O cardápio de Maysville é curto - meia dúzia de aperitivos, um número igual de pratos principais, itens de frutos do mar separados (o camarão do Golfo cozido e resfriado com chiles e coentro são excelentes). O chef Kyle Knall é um Alabaman que trabalhou para Frank Stitt em Birmingham antes de vir para Nova York para se tornar subchefe na Gramercy Tavern. Ele mostra influências de ambos os lugares em seu menu: uma salada taverna de raízes e cevada com queijo de cabra batido que fica crocante de cacos de girassol; peito de pato crocante com foie gras raspado vai para o sul com batata doce branca e (um substituto da couve?) couve à parte; vieiras e camarões com erva-doce e raiz de aipo nadam em caldo de presunto. Um cardápio de bar oferece outras delícias, incluindo um pequeno pote hermético de patê de peixe branco que é impossível parar de comer, especialmente espalhado nas ótimas torradas grelhadas do restaurante (mas pule as pernas de rã fritas, bem crocantes, mas aguadas e sem graça por dentro).

Existem alguns vinhos interessantes a preços saudáveis ​​(incluindo uma bela coleção de tintos Rhônes mais velhos na faixa de US $ 130 a US $ 450), mas é claro que a atração principal aqui são os produtos mais fortes. Cerca de 80 bourbons, 15 ryes, 10 uísques Tennessee e quase 20 outras variações sobre o tema (uísque de milho Berkshire New England, single malte Pine Barrens, etc.) - sem mencionar cerca de 40 exemplos de single-malte e scotch misturado, três Canadenses, uma dúzia de uísques irlandeses, dois do Japão e até um da Índia (Amrut single-malte). O estudioso aficionado de grãos destilados poderia gastar muito tempo e dinheiro e provavelmente cortar alguns anos do tempo de vida de seu fígado por ficar muito tempo sentado no longo e atraente bar de Maysville.


Receita de biscoitos de crack de chocolate amargo Bourbon

Quer saber mais sobre o Whisky? Aqui está nosso Guia de Whisky. Esses cookies de chocolate crack são cookies durões. Aqueles que são quase impossíveis de comer sem pensar.


Destilaria Old Pogue

Apenas uma bela experiência na História da Família e do Bourbon. O terreno é difícil de chegar porque está em um penhasco, então dirigimos até a destilaria da estrada principal. O estacionamento é limitado, mas administrável. A Família Pogue tem feito um excelente trabalho preservando a história da casa de sua família e está expandindo seus termos. Culminando com a retomada de seu DSP-KY- # 3 original! O tempo e o talento de John Pogue estão se mostrando em seus produtos. O bourbon envelhece nove anos, então eles não precisam colocar isso na garrafa. Então, se você está por dentro, você sabe. O Maysville Rye tem seis anos de idade e agüenta totalmente seu peso.

Este lugar vale bem a pena para aqueles que procuram aventura em uma pequena comunidade com uma tradição familiar que está produzindo alguns dos melhores Bourbon and Rye dos quais você provavelmente nunca ouviu falar.

Visitei a Destilaria Old Pogue duas vezes e sempre achei as pessoas de lá muito simpáticas e falantes sobre seus produtos. Não há um tour per se (uma vez eu realmente consegui ver seus barris de destilaria e armazenados), mas há uma degustação disponível por uma pequena taxa. Para uma pequena destilaria artesanal, o produto é muito bom.

Um aviso - dependendo de qual direção você usar, você estará subindo um pouco de uma colina ou uma pequena subida e descida em direção ao estacionamento de visitantes - quase uma montanha-russa.

Certifique-se de ligar com antecedência! Suas horas são muito limitadas e é muito difícil chegar lá! Tivemos sorte e pegamos outro grupo quando eles estavam saindo, então entramos logo atrás deles. Além disso, a área de visitantes está na casa, não no pequeno barraco.

Aprenda um pouco da história interessante do bourbon. Degustação gratuita de seus dois produtos - um bourbon e um centeio. O bourbon estava muito bom. O centeio (centeio 100% maltado) foi excepcional.

Uma bela casa no alto de uma colina com vista para o rio Ohio com sua operação em uma pequena cabana ao lado dela.


Grandes mordidas no estado de Bluegrass: o que comer em Kentucky

Tenha sorte em Kentucky com esses alimentos icônicos do estado e os melhores lugares para experimentá-los.

Relacionado a:

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Acordo de Patti em 1880

Foto por: Sarah Jane Sanders

Foto por: Willow Pond of Aurora

Bourbon e mais

Do leste das montanhas Apalaches até o fundo do rio Mississippi, os habitantes de Kentucky estão unidos em torno de mesas carregadas com presunto envelhecido, pão de colher tenro (por favor, passe a manteiga) e xarope de sorgo feito à mão. Ah, e um pouco de bourbon local, talvez antes. Talvez depois. Pronto para se juntar às delícias? Para todos os dias, experimente os amados feijões-sopa e pão de milho e suas variações: burritos e tacos aclamados nacionalmente. Combine com um Ale-8-One, coma um Modjeska como sobremesa e compartilhe a comunidade de Kentucky.

Ilustração de Hello Neighbour Designs

Castanho Quente

Em 1926, o Chef Fred Schmidt, do Louisville’s Brown Hotel, criou um sanduíche de peru saboroso, cremoso, quente e aberto, destinado a recarregar as energias dos clientes noturnos do hotel que dançam jantar. Schmidt cortou fatias de peru com torradas, cobriu-o com molho Mornay, colocou algumas metades de tomate Roma e torradas, passou o prato sob uma grelha quente e acrescentou fatias de bacon crocantes como cobertura. O Hot Brown, ainda disponível diariamente no Brown Hotel, tem uma página própria, que inclui a receita original. Ele continua popular o suficiente em restaurantes por toda a comunidade e gerou suas próprias competições de melhor qualidade.

Bourbon

Kentucky deu à luz o bourbon, e os destiladores de Kentucky ainda produzem 95% do bourbon do mundo hoje. Os ativos naturais amigos do bourbon do Kentucky incluem água calcária sem ferro, um bom clima e muito milho, que deve representar pelo menos 51 por cento dos ingredientes básicos do bourbon - sua "conta de grãos". Os amantes do bourbon de Kentucky que bebem em casa costumam escolher Old Forester testado pelo tempo, introduzido em Louisville em 1870 e destilado legalmente através da Lei Seca. Entre os muitos bares de bourbon finos da comunidade, o Henry Clay’s Public House em Lexington se destaca pela excelente música ao vivo e por sua localização em um prédio que o amante do bourbon Great Compromiser, construído em 1805.

Beneditino: La Peche Gourmet-To-Go (Louisville, Kentucky)

Jennie Benedict, nascida em 1860 em Louisville, inventou o Benedictine, uma pasta feita de cream cheese, suco de pepino, suco de cebola e temperos, amassada junto com um garfo. Molhos ou sanduíches beneditinos aparecem em muitas mesas de Louisville durante a semana de Derby. A receita original - que está amplamente disponível - inclui duas gotas de corante alimentar verde, um ingrediente que alguns cozinheiros e chefs pulam hoje. Os Louisvillians famintos por sua propagação de assinatura muitas vezes param no La Peche Gourmet-To-Go, anexado ao Lilly's, para a versão crocante e rica em pepino da famosa chef Kathy Cary. Alguns também pedem um sanduíche de beneditino com bacon para viagem, como fortificação até que eles cheguem em casa beneditina e possam preparar um para eles.

Mint Julep

Menta juleps à base de Bourbon no Dia de Derby são um ritual do Kentucky, tanto para nativos quanto para visitantes, e mint juleps são a bebida oficial na pista de corrida de Churchill Downs. Os juleps de hortelã do Kentucky começam com bourbon e incluem hortelã fresca amassada, açúcar ou xarope simples e gelo picado. As bebidas são preparadas com cuidado, até cerimoniosamente. O estadista do Kentucky, Henry Clay, tinha em alta conta tanto o mint juleps quanto o bourbon. Coquetéis artesanais em muitos restaurantes incluem variações de julep durante todo o ano que têm grande apelo. Em Louisville, 610 Magnolia adiciona água de rosas e infusões de pétalas de rosa, por exemplo, e Proof On Main se estende com um coquetel Hot to Trot que inclui pimenta de Caiena, Curaçao e um licor de ervas amargo.

Ovos cozidos

Para ser popular em um potluck em Kentucky, traga ovos cozidos e observe seu prato vazio antes de todos os outros. Enquanto cada cozinheiro do Kentucky faz ovos temperados para atender às preferências da família, variando de puramente salgados a torta doce, os habitantes de Kentucky têm uma mente aberta e apreciam todo o espectro de sabores. Embora os restaurantes raramente ofereçam ovos cozidos, o Dudley’s Restaurant, fundado em Lexington em 1981, oferece aperitivos diários com ovos cozidos aclamados, com truta defumada do Kentucky opcional e coberturas de alcaparras fritas. Alguns Kentuckians resistem ao “diabo” nos ovos apimentados, talvez não confiando nos britânicos do final do século 18, que começaram a usar o termo para descrever certos alimentos estimulantes de sabor intenso. Enquanto os Kentuckians afirmam que os ovos apimentados (ou “vestidos” ou “recheados”) são seus, versões desta comida favorita aparecem nas mesas ao redor do mundo, e têm desde os dias dos antigos romanos.

Colher de pão

Sente-se na tranquila sala de jantar da histórica Boone Tavern do Berea College e o famoso prato inicial quente do restaurante chegará: pão de ouro crocante retirado direto da assadeira, servido com manteiga fresca. James Beard chamou o pão de colher de "suflê pesado". É o primo chique do pão de milho: ovo, amanteigado, macio e úmido. Enquanto o fubá amarelo reina em algumas partes do país, o lendário gerente da Boone Tavern de meados do século 20 e autor de livros de receitas Richard T. Hougen exigiu fubá branco para o prato de assinatura da taverna. Os cozinheiros domésticos podem escolher entre muitas receitas para adicionar pão de colher à mesa para feriados, aniversários e, claro, brunches Derby.

Goetta

Os habitantes do norte de Kentuck apreciam fatias crocantes de goetta (pronuncia-se “GET-uh”) no café da manhã, em sanduíches e como parte de pratos de “cura para a ressaca”. Os fabricantes de Goetta misturam carne e caldo com aveia cortada em aço e temperos para fazer um pirão e, em seguida, moldam a mistura em toras ou blocos para vender a restaurantes e cozinheiros domésticos. Cozinheiros e chefs então cortam ou esfarelam e fritam até ficarem crocantes. O venerável Anchor Grill em Covington - “Podemos cochilar, mas nunca fechamos” - serve goetta 24 horas por dia, 365 dias por ano, e não precisa ir muito longe para comprá-lo. Do outro lado da rua, Glier’s Goetta, fundado em 1946, faz 1 milhão de libras desta comida especial de influência alemã a cada ano.

Frango frito

Embora as pessoas em todo o mundo amem o frango fast-food do Kentucky para refeições casuais, são os restaurantes finos que levam a versão frita ao auge. O Restaurante Heirloom em Midway oferece um peito de frango salgado com leitelho memorável, servindo-o sobre purê de batata com molho de serraria e rúcula. Os fígados de frango frito desse restaurante, servidos com ravióli de ricota com limão, atraem uma clientela tão fervorosa que o restaurante não consegue substituí-los no cardápio. Os habitantes do Kentucky ainda fritam frango em frigideiras de ferro fundido para refeições especiais em casa, muitas vezes usando uma mistura de farinha temperada feita de trigo de inverno vermelho macio cultivado no Kentucky e produzido no histórico Weisenberger Mill.

Moonshine

Os habitantes de Kentucky independentes fabricam e vendem seu próprio álcool há pelo menos 200 anos, incluindo antes, durante e depois da Lei Seca. Muito desse álcool poderia ser chamado de aguardente - uísque destilado à base de milho, não envelhecido, altamente resistente, muitas vezes feito ilegalmente. Destiladores como a Destilaria Casey Jones em Hopkinsville agora produzem aguardente legal à luz do dia. O destilador mestre Arlon Casey Jones usa alambiques construídos em padrões que seu avô desenvolveu em Golden Pond, Kentucky, uma cidade famosa por sua bebida alcoólica da era da Lei Seca. Golden Pond deixou de existir quando seus residentes foram forçados a se mudar na década de 1960 para abrir caminho para a Área de Recreação Nacional Land Between the Lakes.

Burgoo

Embora as viagens para o Keeneland Race Track em Lexington geralmente envolvam apostas, outra palavra “B” também atrai os locais: burgoo, um grampo do Kentucky desde pelo menos meados do século XIX. Burgoo não tem receita fixa. O historiador de alimentos Charles Patteson chama isso de "um ensopado de caçador feito com o que estava disponível." As primeiras versões do burgoo incluíam caça local, cozida ao ar livre em grandes chaleiras de ferro. Hoje, o burgoo é um prato espesso e saboroso feito com várias carnes e vegetais, temperado ao gosto do cozinheiro. No Churchill Downs de Louisville, os frequentadores do Derby encontram o burgoo que sustenta no primeiro sábado de maio. O jornalista alimentar Jean Anderson disse que o burgoo é "obrigatório em comícios políticos, jantares na igreja e reuniões de família em Kentucky".

Torta de limão shaker

Por quase 50 anos, os clientes dirigiram para a Shaker Village of Pleasant Hill, perto de Harrodsburg, em busca de beleza, história, descobertas - e a Shaker Lemon Pie. Esta torta de crosta dupla e intensamente agridoce, recheada com fatias ligeiramente amargas e finas como papel de limão inteiro, faz os Kentuckians esquecerem tudo sobre o merengue de limão e as tortas geladas do mundo lá fora. Os hóspedes de todo o país ainda vêm em massa para outros alimentos Shaker também, e para os ricos prazeres de desfrutar de uma refeição completa em um ambiente restaurado com amor. Os grandes favoritos do menu incluem sopa picante de tomate com aipo, muffins de milho ou rolinhos de fermento branco que são passados ​​com cada refeição principal e frango frito.

Sopa de feijão e bolos de milho frito

Feijão de sopa e pão de milho? Esse é o epicentro da culinária tradicional dos Apalaches de Kentucky, apreciada em todo o estado pela saborosa e salgada vagem de feijão cozido temperado com carne de porco defumada. Enquanto as sopas de feijão podem ser baseadas em qualquer feijão seco, os grãos de sopa são sempre pintos. Os melhores grãos de sopa e pão de milho vêm de casa - de preferência da cozinha de Mamaw - mas restaurantes de todo o espectro de preços também oferecem esses alimentos de sobrevivência agora elegantes. Windy Corner Market, uma popular encruzilhada rural perto de Lexington, oferece sopa de feijão salpicado de pimenta vermelha e bolos de milho fritos todos os dias, servidos com cebola crua, como deveriam ser. Os grãos de sopa e o pão de milho surgiram porque as famílias trabalhadoras de fazendeiros e mineradores precisavam de boa comida que pudessem comprar e cozinhar, enquanto administravam todo o trabalho das propriedades autossuficientes. O sabor dos alimentos, o conforto que eles oferecem e o senso de conexão com a tradição e a cultura os moveu para o mainstream, onde eles borbulham hoje em refeições familiares frugais.

Hoppin ’John

O restaurante de alfafa em Lexington colocou o Hoppin ’John no menu logo após sua inauguração em 1973, e o prato ainda está disponível diariamente, fazendo felizes gerações de fãs de alfafa. A versão idiossincrática e vegetariana da alfafa deste favorito costeiro apresenta arroz integral coberto com ervilhas pretas levemente temperadas, uma camada de tomates em lata em cubos e um trio de coberturas: cebolas frescas picadas, pimentões e queijo cheddar branco ralado. Os insiders pedem a salada de repolho, inventada durante o boicote à alface no início dos anos 1970, e pedem o famoso molho missô de alfafa à parte.

Bolas de Bourbon

Durante as férias de inverno e a semana de Derby no início de maio, os cozinheiros domésticos costumam fazer bolas de bourbon com centros úmidos que incluem biscoitos de baunilha triturados, parecidos com bolas de rum europeu. Várias empresas excelentes de doces artesanais do Kentucky produzem versões semelhantes a trufas desses adorados doces: cremosos, centros de fondant embebidos em bourbon mergulhados em chocolate fino. No Ruth Hunt Candies, de 95 anos, em Mt. Sterling, os membros da equipe superam cada Woodford Reserve Bourbon Ball com uma metade de noz-pecã perfeita. Ruth Hunt também atrai milhares de fãs com sua distinta barra de chocolate Blue Monday, uma fatia revestida de chocolate de creme de baunilha derretido puxado, homenageando um ministro viajante que disse que precisava de um pouco de doce a cada semana para ajudá-lo em sua “Blue Monday. ”

Pudins e Tortas Transparentes

As tortas transparentes da Magee’s Bakery, fundada em Maysville em 1956, têm suas raízes nas cozinhas de fazendas próximas, onde os cozinheiros faziam a sobremesa com o que tinham: ovos, manteiga, açúcar, creme e um toque de farinha. Essas tortas icônicas podem ser primas de primeiro grau das tortas de xadrez mais conhecidas e primos de segundo grau antes sem as tortas de nozes, mas os fãs insistem na distinção das tortas transparentes: elas são feitas sem o fubá e os aromas típicos das tortas de xadrez, e sem o nozes tão cruciais em tortas de nozes. Os aficionados também sabem que as tortas menores e de tamanho pessoal são chamadas de “pudins transparentes”. Alegadamente, George Clooney, o nativo mais conhecido de Maysville, procura e compartilha as tortas com amigos e colegas em seus sets de filmagem.

Pudim de milho

Pudim de milho, um acompanhamento de creme com recheio de milho assado, delicia os habitantes de Kentucky em grandes refeições familiares, potlucks e jantares de feriado. Muitos cozinheiros domésticos do Kentucky dependem de uma receita amplamente compartilhada que permanece no menu do Beaumont Inn em Harrodsburg, transmitida por cinco gerações da família dos proprietários. A James Beard Foundation declarou o Beaumont Inn um clássico americano em 2015, honrando quase 100 anos de propriedade da família e um compromisso com alimentos icônicos de Kentucky, como presunto country e frango frito.

Cerveja artesanal

O Bourbon pode ser o principal consumidor de bebidas alcoólicas em Kentucky, mas a cena da cerveja artesanal também está prosperando. Em 2012, a West Sixth Brewing de Lexington começou a fabricar e servir cerveja em um canto de uma padaria histórica chamada The Bread Box. A microcervejaria artesanal agora oferece de 15 a 20 cervejas na torneira, e a Bread Box transborda de empresas e organizações sem fins lucrativos criativas e voltadas para a comunidade, incluindo uma engenhosa fazenda interna no coração do prédio. Lojas e restaurantes em todo o Kentucky vendem a IPA da West Sixth e muitas outras cervejas. Em breve, a cerveja West Sixth incluirá ingredientes cultivados em uma fazenda recém-adquirida de 120 acres no condado de Franklin, a 35 minutos da cervejaria.

Tacos e Burritos

Em uma competição nacional em 2014 com o objetivo de encontrar o melhor burrito da América, a Tortillería y Taquería Ramírez de Lexington perdeu o primeiro lugar por um ponto. Um juiz chamou as tortilhas de "essencialmente perfeitas". Este modesto restaurante-mercearia atrai centenas de clientes diariamente, tanto para pedidos à mesa quanto para entrega em domicílio. Muitos estão lá apenas para pilhas de tortilhas de milho quentes e recém-preparadas: a família Ramirez compra, embebe e tritura milho cultivado em Kentucky no Moinho Weisenberger local como o principal ingrediente das tortilhas. O jornalista e autoridade alimentar mexicana Gustavo Arrellano documentou a história da família Ramirez em uma história oral para a Southern Foodways Alliance, começando com sua vinda para trabalhar em uma fazenda de cavalos no centro de Kentucky e levando à posse de um bloco de edifícios que inclui seu famoso restaurante-mercearia.

Donuts

Bowman e Zelma Spalding lançaram a Spalding’s Bakery em sua casa no norte de Lexington em 1929. Seus familiares ainda seguem a receita original para fazer os donuts de levedura mais famosos de Lexington - levemente nodosos, crocantes, leves, mal polidos, tanto preenchendo quanto satisfazendo. Outros doces da Spalding's, especialmente bolinhos de maçã e donuts recheados, têm seus próprios grupos de fãs. Embora muitos meios de comunicação tenham afirmado as maravilhas dos donuts, apenas os locais dispostos a chegar mais cedo, ficar na fila e atuar - não há lugares - obtêm todos os benefícios das habilidades dos padeiros. Assim que o estoque diário de todos os doces acabar, o Spalding's fecha.

Churrasco de carneiro

Owensboro, uma grande cidade ribeirinha, serve como epicentro do carneiro assado no Kentucky. Pelo menos quatro restaurantes locais mantêm carne de carneiro em seus cardápios, e jantares freqüentes na igreja e eventos de arrecadação de fundos apresentam esta especialidade regional do oeste de Kentucky. O Moonlite Bar-B-Q Inn em Owensboro serve um lendário buffet diário com carne de carneiro, junto com outras carnes e acompanhamentos tradicionais, como feijão verde e brócolis caçarola. Um item distinto do buffet, salada de banana, apresenta bananas fatiadas enroladas em um molho cremoso torta doce cozido e coberto com amendoim esmagado. As bananas têm um vínculo com o Kentucky porque os primeiros vagões refrigerados que traziam as frutas tropicais de Nova Orleans para Chicago para distribuição nacional tiveram que parar em Fulton, Kentucky, para reabastecer seu suprimento de gelo.

Hambúrguer

No Jack Fry’s, o sensual restaurante de Louisville que abriu pela primeira vez em 1933, os clientes podem pedir o Jack’s Burger para o almoço ou jantar. Os chefs de Jack Fry colocam o Black Hawk Farms Black Angus chuck em um bolo de brioche e, em seguida, adicionam alface, tomate, cebola caramelizada e picles locais doces picantes. O resto do cardápio de Jack Fry chega ao auge da gastronomia, mas o hambúrguer nunca desilude. O City Pool Hall em Monticello serve outro tipo de hambúrguer, também um dos favoritos por mais de 50 anos: um hambúrguer amassado e torrado ao lado de seu pão em uma venerável chapa de topo plana, todo crocante e saboroso.

Modjeskas

No final dos anos 1800, Anton Busath, um confeiteiro francês que morava em Louisville, trabalhou durante anos para aperfeiçoar um doce que deu o nome de uma bela e dramática atriz polonesa, Helena Modjeska. Busath envolveu um marshmallow premium em caramelo macio e amanteigado, criando uma porção de doce com doce que hoje desfruta de fãs dedicados. A Muth’s Candies, fundada em 1921, adquiriu a receita bem guardada no final dos anos 1940. Os descendentes do fundador Rudy Muth continuam a fazer e embrulhar Modjeskas à mão hoje, cobrindo alguns com leite ou chocolate amargo. A Muth's agora vende Modjeskas e outros produtos de confeitaria online, bem como em sua loja NuLu.

Sorgo

Os Kentuckians reverenciam o xarope de sorgo doce, que muitos chamam de “melaço” ou “melaço de sorgo”, como a forma favorita de encerrar uma refeição: eles amassam o sorgo com manteiga amolecida e aplicam a mistura em um biscoito ou dois. Sorgo é um xarope doce de ingrediente único que as famílias de agricultores podem produzir do início ao fim em suas próprias terras. Os cozinheiros do Kentucky usam sorgo em biscoitos suaves e picantes, feijão cozido e nos bolos de maçã que fazem parte da culinária tradicional dos Apalaches. Os principais produtores do Kentucky incluem Townsend Sorghum Mill e Country Rock, ambos com campeonatos nacionais de sorgo, bem como Oberholtzer, que não entra nas competições nacionais. A partir do final do verão, os produtores de sorgo pressionam os caules da cana-de-sorgo para liberar seu suco verde e, em seguida, cozinhe-o em panelas especiais para produzir um xarope doce de âmbar escuro. Para muitos Kentuckians, cozinhar sorgo é uma atividade divertida feita em comunidade com a família e amigos.

Skyline Chili

Nicholas Lambrinides, nascido na Grécia, fundou a Skyline Chili em 1949 em Cincinnati, contando com uma mistura secreta de especiarias mediterrâneas. Do outro lado do rio Ohio, os habitantes do norte de Kentuck desfrutam de seus próprios locais no horizonte há décadas e afirmam que o saboroso molho faz parte de sua culinária. O chili básico, chamado de “3-way,” vem em uma cama de espaguete, coberto com queijo ralado. Os comensais podem continuar adicionando coberturas, escolhendo feijões ou cebolas ou ambos, para chegar a um “4-way” ou “5-way”. Os Coneys exclusivos da rede são cachorros-quentes com cobertura de molho, com outras coberturas opcionais. Existem várias filiais da Skyline Chili em Louisville.

Cerveja Queijo

Os Kentuckians começaram a comer queijo de cerveja na década de 1940, quando o chef Joe Allman do Arizona inventou uma pasta de queijo com quatro ingredientes: queijo, cerveja, alho e pimenta de Caiena. O primo de Joe, o famoso restaurateur Johnny Allman, serviu como aperitivo em restaurantes populares no rio Kentucky, perto de Winchester. Hoje, o Hall's on the River em Winchester serve um popular aperitivo de cerveja e queijo com biscoitos salgados e vegetais crocantes. A propagação de Hall ganhou o prêmio People's Choice no Festival de Cerveja e Queijo de Winchester 2016. O queijo Snappy Beer de Hall, uma versão comercial da pasta caseira do restaurante, pode ser encomendado online.

Torta Derby

George Kern e seus pais, Leaudra e Walter, desenvolveram o Derby Pie por volta de 1950 em Prospect, Kentucky. Eles registraram como Derby-Pie no final dos anos 1960. Os habitantes de Kentucky comem Derby Pie o ano todo, não apenas no início de maio. Kern’s Kitchen em Louisville produz a sobremesa de chocolate com nozes cremosa a partir de uma receita secreta, vendendo-a congelada online e para restaurantes e mercearias em partes de Kentucky, Indiana e Ohio. Quando cozinheiros e chefs caseiros do Kentucky fazem tortas semelhantes - por exemplo, adicionando gotas de chocolate a uma torta de nozes - eles às vezes usam nomes como Racetrack Pie para que os clientes saibam que a torta é semelhante a Derby-Pie, evitando problemas com a marca registrada ferozmente protegida.

Pão de Vaso

Kentuckians do oeste e pessoas de todo o estado dirigem até o topo da Área de Recreação Nacional Land Between the Lakes para comer no Patti’s 1880’s Settlement. Um grande motivo é o Pão de Panela de Patti. Com cada entrada, o Patti’s serve um vaso de argila temperado transbordando com pão de fermento macio recém-assado do zero. Manteiga pura e manteiga de morango vêm junto com ele. Patti's e seu restaurante irmão, Mr. Bill's, atendem a mais de 350.000 pessoas anualmente, em uma cidade com menos de 400 residentes. Dê um passeio pelos jardins ou brinque no lago próximo e volte para comer uma fatia de uma torta de merengue com mais de um quilômetro de altura.

Ale-8-One

Em Winchester, em 1926, G. L. Wainscott lançou o Ale-8-One, um novo refrigerante com cafeína e gengibre. Ele o promoveu como "A Late One" para destacar sua recente chegada em uma cena ativa de refrigerantes. Por décadas, os fãs foram a Winchester para comprar a bebida, levando suprimentos para amigos e familiares distantes. Agora, o Ale-8-One está disponível online e sua área de distribuição inclui grande parte do Kentucky, junto com alguns condados de Ohio e Indiana. O bisneto de G. L. Wainscott, Fielding Rogers, dirige a empresa hoje, e ele ainda depende das notas manuscritas do fundador para se manter fiel à receita original.

Bagre Frito

Embora o bagre frito apareça nos cardápios de restaurantes em todo o Kentucky, ele é particularmente apreciado pelos clientes no oeste do Kentucky. Willow Pond Southern Catfish em Aurora pães filés de bagre levemente e frita-los até um marrom crocante, servindo-os junto com acompanhamentos bem elogiados, incluindo filhotes de cachorro quente, salada de vinagre, batatas assadas e feijão branco. Os condimentos em cada mesa incluem um tempero de pimenta doce que a maioria dos clientes adiciona ao feijão - embora possa ser um molho para outros alimentos também. Willow Pond of Aurora foi inaugurado em 1993, substituindo Sue and Charlie's, um popular restaurante de bagre fundado em 1947, e continua conhecido por seu serviço qualificado e caloroso.

Presunto country

O presunto do Kentucky, agora uma iguaria reverenciada, já foi simplesmente "presunto". As famílias criavam seus próprios porcos, curavam os presuntos em sal - às vezes com adição de açúcar mascavo - os fumavam um pouco se desejassem e os penduravam para envelhecer em fumódromos sem aquecimento por até dois anos. Nancy Newsom Mahaffey, do velho Kentucky Country Ham do coronel Bill Newsom, em Princeton, diz que é provável que seus ancestrais tenham começado a curar presuntos logo após chegar à Virgínia em 1642. Hoje, Nancy usa uma receita escrita em um testamento de família no final dos anos 1700 para produzir presuntos envelhecidos estelares que foram elogiados por James Beard. Disponível para compra no site da empresa, eles são impressionantes o suficiente para que um presunto Col. Newsom seja a única exposição americana em um museu espanhol dedicado ao jamon.


Por que você deve beber Bourbon com ostras

Na próxima vez que você descascar uma dúzia de ostras ou pedir um prato cheio de gelo, considere pular a taça de vinho espumante ou Muscadet. Em vez disso, siga seu coração e beba o que você realmente deseja nesta época do ano: uísque.

Kenton & # x2019s, a primeira estreia em Nova Orleans de Sean Josephs e Mani Dawes de Maysville, centrada no bourbon de NYC & # x2019s, é tão impressionante, quanto ao uísque, quanto seu irmão de Nova York. Mas Kenton & aposs também tem uma atração bônus adicional: uma barra de ostras de latão brilhante. Embora seus instintos possam lhe dizer para consultar a lista de vinhos ou coquetéis para um acompanhamento de ostras, tente voltar sua atenção para o tomo de uísque forte de 200 garrafas. Pode parecer estranho, mas Josephs promete que o emparelhamento funciona. & # x201Ct combinessalgo doce com algo salgado e salgado, & # x201D, diz ele. Aqui, algumas orientações para beber uísque com ostras.

Mais jovem é melhor. & # x201Chá & # x2019s tanta ênfase em beber esses bourbons difíceis de encontrar devido ao tempo, & # x201D Josephs diz. & # x201CMas elas se prestam menos a serem consumidas com comida & # x2014; podem superar as sutilezas do seu prato. & # x201D Isso vale o dobro para ostras suaves e matizadas. Josephs recomenda optar por bourbons que estejam na faixa etária de três a seis anos.

Não fique muito embriagado. & # x201CCom ostras cruas, você deseja manter a prova mais baixa, & # x201D Josephs diz. Trysomething que vem em 80 ou 90 provas. Você ainda obterá aquela qualidade de uísque aquecedor, mas evitará as papilas gustativas-dizimando a queima de algumas garrafas à prova de barris. Algo como o Four Roses Yellow Label ou Bulleit se encaixaria nos requisitos de idade e prova de Josephs & # x2019s.

A menos que sejam cozidos, fique grande. Além de sua seleção de ostras crus e resfriadas, o Kenton & # x2019s também oferece duas preparações de ostras cozidas: frita com picles com aioli picante e assada no fogo com cebola defumada, presunto e salsifé. & # x201CQuando sabores mais fortes entram em jogo, um bourbon mais forte é mais apropriado, & # x201D Josephs diz. Ele recomenda Elijah Craig 12 anos ou Henry McKenna 10 anos.

Experimente o centeio. Embora Josephs seja um grande fã dos tradicionais bourbons com ostras, ele também abre espaço para o uísque de centeio. & # x201Canise e ostras é uma combinação de sabores bastante clássica, & # x201D, diz ele. & # x201C e essa & # x2019 é uma das principais características do centeio. & # x201D Ele recomenda dois clássicos da velha escola: Sazerac e Old Overholt.

Acalme-se. Há um aspecto no emparelhamento de uísque com ostras que não se desvia da técnica típica de emparelhamento de ostras: a bebida precisa ser crocante e fria. “It doesn’t matter so much when the oysters are cooked, but if you’re pairing them raw, the whiskey should be below room temperature,” Josephs says. He always likes to add ice, regardless of whether he’s eating oysters or not, because of the way it lets the whiskey evolve. “Say you have a 90-proof bourbon and you throw an ice cube in there,” he says. "You take a sip right away, at which point the ice has had little effect on it. But as the ice melts you get less of the alcohol and more of the aroma. You get to taste thechange.”


5 Pecan Pie-Perfect Bourbons

No other liquid goes better with pecan pie than bourbon, as verified by five whiskey geniuses from top whiskey bars across the country. Here, their top picks for a great way to round out the Thanksgiving feast.

Pecan pie is a life’s passion of mine and for more years than I can remember, I’ve been making this obscene chocolate bourbon one, a recipe from the brilliant David Lebovitz. It’s pretty darn rich, but hits all the right notes. Nothing, nada goes better with pecan pie than bourbon. And truly, after the big Thanksgiving meal, you really need some whiskey to finish off the night. We asked five whiskey geniuses from some of the greatest whiskey bars in the country for their pecan pie bourbon picks. Remarkably, three of them suggested bottles from the terrific Buffalo Trace distillery. Here’s the lowdown:

Sean Josephs, owner of Maysville and Char No. 4 in NYC
Elmer T. Lee Single Barrel Bourbon ($35)
“When it comes to pairing there’s the contrast approach and the complement approach. This falls into the latter category. Elmer T. Lee has the quintessential sweetness that is the essence of bourbon: lots of rich toffee and caramel balanced by notes of baking spices and citrus. The bourbon is also, in a word: smooth. In the case of pairing with a truly sweet dessert like pecan pie, that’s a good thing. I don&apost think you want too much of the bite that comes from rye, or the heat that comes from a higher proof bourbon, or the leathery, earthy notes that come from long aging as you tuck into your post-Thanksgiving dessert.”

Susie Hoyt, beverage director at The Silver Dollar in Louisville, Kentucky
W. L. Weller Special Reserve Bourbon ($18)
“The most important thing to do when pairing whiskey with food is choose a spirit that&aposs a little lower in alcohol. In general, I gravitate towards bourbons that are bonded or higher for sipping on and make cocktails with, but when food is involved, you want to look for something that will allow the dish to be the main focus while still complementing it-and possibly even bring out nuances that would not have been there otherwise. This little gem of a wheated bourbon is aged for roughly 7 years at the renowned Buffalo Trace Distillery. The slightly lower proof (90) and wheat in the mashbill create delicate, softer flavors of caramel and vanilla, which give way to a unique savory note that ends with a hint of spice. The sweeter, softer notes pair quite nicely with the sweet, nutty notes of the pie, and the pie is enhanced by the refined spice notes of this bourbon.”

Phil Olson, bar manager at Longman & Eagle in Chicago
Belle Meade 9 Year-Old Sherry Cask Finish Bourbon ($80)
“I wasn&apost sure if I wanted to go with something sweet or a little more spicy like a good rye to offer some contrast. I decided to go with sweet – that’s what we love about bourbon in the first place, and I also have a helluva a sweet tooth myself. The first bourbon that popped in my head is a relatively new product. Belle Meade is the bourbon produced by Nelson&aposs Greenbrier Distillery in Tennessee, a distillery that was revived by two brothers, Charles and Andy Nelson, after discovering that their triple great-grandfather operated a distillery before Prohibition. It is a sourced whiskey, meaning they bought aged whiskey from a larger producer and blended it and bottled themselves. They had some older whiskey that wasn&apost right for the signature blend, but was delicious nonetheless. They took this 9 year-old bourbon and finished it in Spanish Oloroso sherry casks for a rich, nutty finish that will complement the pecan pie perfectly.”

Alan Davis, owner of Multnomah Whiskey Library in Portland, Oregon
EH. Taylor Small Batch Bourbon ($40)
“I would default to Colonel E.H. Taylor Small Batch Bourbon, from Buffalo Trace Distillery, given the seamless confluence, in nose and palate expressions, of cinnamon, rich corn, chocolate, vanilla and subtle tannins in both the bourbon and the pie.”

Justin Vann, Public Services in Houston, Texas
Elijah Craig Barrel Proof Small Batch Bourbon ($40)
"This whiskey&aposs super intense, and the pie can balance it out. For best results, consume both as breakfast."


  • 125g soft unsalted butter
  • 125g golden caster sugar , plus extra for sprinkling
  • 2 tbsp golden syrup
  • 1 large egg , lightly beaten
  • 250g plain flour , plus extra for dusting
  • 50g cocoa powder
  • 1 colher de chá de fermento

Para o recheio

  • 150g unsalted butter , softened
  • 360g icing sugar , sifted
  • 4 tbsp cocoa powder
  • pink food colouring

Método

Beat the butter and sugar together until creamy, then mix in the rest of the ingredients. Add a splash of milk if the mixture looks a bit dry – it should come together as a dough.

Line three baking sheets, dust lightly with flour, then roll and pat one-third of the dough out to the thickness of a £1 coin on each. Cover and freeze for 15 mins.

Heat oven to 180C/160C fan/gas 4. Slide the dough off the trays and put a new piece of parchment on each. Trim the edges of the dough to straighten, then cut into rectangles, roughly 6 x 3cm. Lift each one carefully onto the tray, leaving some space between them as they’ll expand. Bourbons usually have a pricked pattern, so use a cocktail stick to do this if you want (not too many or they’ll break up). Put the dough back in the freezer if it gets too soft.

Bake for 8-10 mins, then leave to cool on the sheet as the biscuits will be soft when they’re hot. Sprinkle over some sugar. Will keep for a week in an airtight container.

Enquanto isso, faça o recheio. Beat the butter and icing sugar together, then divide the mixture into three. Add the cocoa to one lot, a dot of pink colour to another, and leave the last one plain (add a little more icing sugar if you need to). Spoon each into a piping bag or a sandwich bag with the corner snipped off.

When the biscuits have cooled completely, pipe the icings onto half of them, then sandwich together with the other halves. Deixe para definir.

RECEITA DICAS
EAT THE DAY THEY'RE ICED

The bourbons will soften after a while, so they&rsquore best eaten the day they&rsquore iced.


Big Bone Lick State Park

Just 15 minutes down the road from Rabbit Hash you’ll find a Kentucky state park that’s not only chock-full of history, it also brims with prehistoric finds𠅋ig Bone Lick State Park, in Florence, KY. As you drive through one of the entrances you’ll note that it’s also known as the 𠇋irthplace of American Vertebrate Paleontology.” Famed explorer Meriwether Lewis, of Lewis and Clark, spent weeks on this site, discovering prehistoric bones. So many skeletons of prehistoric animals were discovered here that it was named for their 𠇋ig bones.” There’s a new museum on-site featuring them, and some big-boned contemporary creatures𠅊merican Bison—roam the park. Like all the state parks in Kentucky, it’s also beautiful, perfect for refreshing hikes or camping.


1. Kentucky Gateway Museum Center

The Kentucky Gateway Museum Center is a place to explore the stories of those who have called the Maysville area of the state of Kentucky home or even just passed through, from explorers to slaves and pioneers to artists and movie stars. The museum is home to three dynamic collections that bring the various stories of this region into a fascinating focus,” showcasing stories of everyday survival, love, great achievement, courage, and more. Home to its own Genealogical and Historical Research Library, the Kentucky Gateway Museum Center also includes the Kathleen Savage Browning Miniatures Collection and the Regional History Museum.

215 Sutton St, Maysville, KY 41056, Phone: 606-564-5865

Fun day trip ideas close to me, things to do this weekend, small towns, best weekend getaways: Ohio, From San Francisco, From NYC, Texas, Florida


Non Alcoholic Substitutes for Bourbon

If you want to skip the alcohol entirely, there are many options out there. Using an alcohol-free substitute can be great for dishes that you don’t cook. They are also nice for saving time from cooking the alcohol off of the recipe. You will want to pick your non alcoholic bourbon substitute based on what flavors you are most looking for from the bourbon in the recipe.

The extracts mentioned in this list specify the non-alcoholic kind. However, you can also use the regular kind, but understand that extracts can have 35 percent alcohol. So if you don’t plan on cooking your recipe, you may want to find the non-alcoholic variety.

1. Non-Alcoholic Vanilla Extract

Many recipes that call for bourbon use it for the vanilla flavor that it adds. This flavor makes replacing bourbon with vanilla extract an easy choice. Vanilla is such a popular replacement that they even sell bourbon vanilla extract. This combination gives even a more authentic flavor substitution by adding some smokiness to the vanilla.

Some people suggest a one to one switch with vanilla extract, but others mention cutting it with a little water to add the same amount of liquids but a little less vanilla taste. If you like strong vanilla flavor, use it one for one. If you want only a hint of vanilla, add half the vanilla extract and half water.

2. Peach Nectar Mixed With Apple Cider Vinegar

When you are making a fruit-based dish, your bourbon substitute can be peach nectar and apple cider vinegar. The vinegar helps add the bite that you are sometimes looking for from the bourbon, and the nectar adds the sweeter flavor notes. You can use other juices and nectars with this substitute to help find the perfect combination of flavors.

To make this mixture, you want to use three parts nectar to one part vinegar. This substitute works best when you are making recipes that don’t call for baking, and it can be used as a one for one replacement with the bourbon, though sometimes you may want to add a little more if consistency isn’t an issue.

When you are only looking to replace the bite that bourbon would add to something, apple cider vinegar can be used by itself. Apple cider vinegar works great as a replacement in pork dishes. You will want to use about a third of the vinegar to bourbon in the recipe.

3. Non-Alcoholic Almond Extract

Almond extract works well as a bourbon substitute for any dish that uses heavy nuts in the recipe and baked goods in general. The almond can have great synergy with other nut flavors and bring out the pecans and walnuts in a dish.

When using almond extract, some cooks like to replace it one for one, but others use about half the extract amount. If you are worried about the consistency, you can add water to make up the difference. You can mix the almond and vanilla extract to get a near-perfect bourbon substitute as well.

4. Ginger Beer

Ginger beer is great to replace bourbon in recipes that call for the spicier bourbon, like savory dishes and fruit recipes. Ginger beer is usually made with vanilla, so you get the vanilla notes in the recipe. The ginger adds a punch of extra flavor too. The carbonation isn’t a problem because it boils off very quickly, leaving just the flavors. It does add additional sweetness, especially if you don’t get the dry option.

When using ginger beer as a substitution, it is best to reduce it first to minimize the extra fluid. If you don’t, your recipe may be more watery than you want. Ginger ale can also work, but it will add even more sugar to the recipe. When reduced, you can replace it one for one with the bourbon in the recipe.

5. Non-Alcoholic Bourbon Extract

This one feels like a bit of a cheat, but bourbon extract is an incredible replacement for bourbon. It was made specifically to offer the same flavors and notes as bourbon. The flavors are almost exactly spot on, so bourbon extract can be used with virtually any recipe that you would use bourbon.

When using the bourbon extract, the flavor can be incredibly intense. If you are a huge fan of bourbon, you can swap it one for one, but many people cut the extract in half with water for the best results.

There are plenty of suitable bourbon substitutes for you to choose. There is a good chance you have at least one of these alternatives in your cupboard. You can find one that will fit into your recipe and make it delicious. Try them out today, and enjoy your meal.


Assista o vídeo: Maysville Kentucky December 2020 (Dezembro 2021).